domingo, 8 de novembro de 2009

Cores de Almodóvar!


Los Abrazos Rotos - Espanha - 2009

Com o título "Abraços Partidos" (Los Abrazos Rotos), o famoso cineasta espanhol Pedro Almodóvar sempre deixa os temas amor, casamento e interesses sexual e financeiro mais polêmicos do que já são.

Durante as 2 horas e alguns minutos de filme, Almodóvar surpreende no final (como sempre) mostrando como os interesses de um determinado personagem influênciam no destino dos outros na história.

Penélope Cruz interpreta uma ex-secretária, ex-garota de programa e atriz, que se envolve amorosamente com o cineasta Mateo Blanco (Lluís Homar) e se torna atriz principal do longa que o mesmo começaria a gravar, o longa fictício chamado "Chicas y Malas". Essa história de amor entre esses dois personagens só vem a tona na história quando Diego (Tamar Novas) filho de sua antiga produtora, Judit Gárcia (Blanca Portillo) toma um gole de LSD por engano e passa mal.

A partir desse momento, Mateo (agora chamado de Harry Caine e com a profissão de escritor) conta toda a história de amor que teve com Lena há 14 anos atrás. Diego ficou curioso pela história, por ter visto uma foto da atriz na gaveta de Harry e pela notícia da morte do famoso empresário e economista Ernesto Martel (José Luiz Gómez) que era casado com Lena na época.

A história gira em torno da história de amor da atriz com o cineasta, que trai o marido empresário e foge com Mateo/Harry para o litoral espanhol, mas como Ernesto é muito ciumento e ama Lena acima de tudo ele cria todas as situações possíveis e impossíveis para acabar com o casal, inclusive "destruir" o filme que haviam gravado em Madri.

Para não revelar a história, só tenho para dizer uma coisa: "o filme é uma experiência de roteiro e direção, e que na mão de Almodóvar ficou uma obra muito gostosa de se ver, e Penélope está cada vez melhor e mais bonita".

Escrevendo assim, parece até que a história é óbvia, mas não é! Almodóvar faz de tudo para que o caminho e a vida dos personagens se cruzem de qualquer jeito e que um deles vá influênciar no destino de todos.

O Longa foi apresentado em diversos festivais do mundo, inclusive ao ar livre no centro da cidade de Londres.

Esse com certeza é um filme de primeira.

2 comentários:

Beto Mathos disse...

É isso aí!
As cores estão lá. No vermelho dos tomates, no vermelho das roupas, dos batons, do carro que cruza sozinho a autoestrada.
Sem dúvida é Almodóvar, em sua mais nova fase, nos brindando com mais uma pérola.
Depois de "Volver", vemos, mais uma vez, Penélope Cruz voltando às origens de seu País natal. Mais madura, mais atriz, bem mais convincente.
Abraços Partidos é daqueles filmes intrigantes, que nos fazem dar "pause", pensar, retomar, dar "pause" de novo e perceber que fomos tomados pelas cores do mestre.
Grande dica, amigo.
Grande abraço, sem quebras, pra ti.

o interlocutor: disse...

UAU! Adoro Almodóvar, suas cores, dramas e sexualidade. Ainda não assisti "Abraços Partidos" mas tenho certeza de que a inteligência e audácia de Pedro estão lá, assim como a sua está aqui. Adorei o blog! Parabéns. =)